Enrique Espinosa - Quem Me Ensinou a Nadar, 2020

 

"O novo não nasce do novo, a não ser de um novo que já envelheceu e persiste sendo novo menos novo que o novo vindo em seu encalço.

E nem sempre o novo tem a chance de dizer ao menos novo, ou ao velho do qual ele eclodiu, o quanto lhe é grato. Como aconteceu comigo em relação aos meus avôs.

De um deles, João Anzanello, recebi meu nome e sobrenome. Amei-o como um menino ama alguém sem saber que, em breve, o perderá. Ele se foi quando completei três anos.

Com meu outro avô, André Carrascoza, sequer tive convivência. Nasci, e ele já havia partido. No entanto, sinto-o tão presente em meu ser que, em sua memória, escrevi o livro Meu avô espanhol.

Por isso, alegra-me imensamente ter em mãos este foto-livro – homenagem comovente do jovem fotógrafo Enrique Espinosa ao seu avô, também Enrique Espinosa.

Exemplo expressivo de um representante da nova geração que revela, em fotos p&b, o seu afeto por um familiar que o precedeu e com quem segue em diálogo, buscando flagrar, nas expressões do corpo, os seus íntimos sentimentos.

Sensível à tessitura das imagens que pedem palavras para, juntas, formarem uma obra única, verbo-visual, Enrique enriquece as suas fotos do avô com as palavras do próprio retratado. Assim, a escrita da luz se abraça à sombra das letras para registrar o raro encontro entre o ontem e o amanhã.

Quem me ensinou a nadar é uma linda celebração dos estreitos laços humanos. Uma prova não apenas de que o novo nasce do velho, mas de que, às vezes, aquele reverencia esse, com amor e gratidão por lhe trazer ao mundo – e continuar correndo, como sangue, em sua alma.

Nade livremente, mas devagar, por estas páginas a seguir: um encontro sublime entre Enrique-o-neto e Enrique-o-avô."

 

Prefácio por João Anzanello Carrascoza

 

 

Interessado pela vida, curioso pelas histórias e colecionador de memórias, Enrique Espinosa, paulistano, 24 anos é graduado em comunicação pela Universidade de São Paulo e transita entre os universos criativos do teatro e da fotografia. Em “Quem me ensinou a nadar”, sua primeira publicação, constrói junto com seu avô uma obra verbo-visual íntima e geracional em respeito ao tempo das coisas.

 

Enrique Espinosa, Curitiba, 2020

 

Tiragem limitada 10 cópias

 

28 páginas

 

20 cm x 15 cm

 

Preto e Branco

 

Primeira impressão

Enrique Espinosa - Quem Me Ensinou a Nadar, 2020

REF: LEE
R$ 60,00Preço